O momento com Deus

Ele tem seu particular com Deus, e isso não me causa ciúmes, pois Deus também me reserva a Sua atenção. Quando ele quer me introduzir na presença do Altíssimo, num momento de exclusividade, fico apreensivo. Mas não me culpo, pois as minhas virtudes não podem ser desmerecidas por causa de uma crise no relacionamento de alguém com o Senhor. E também, ninguém adentra a presença de Deus sem a Sua permissão.

Não é me negando a estar presente que vou ajudá-lo a aproveitar sua intimidade com Deus. Não é me acovardando em entrar num ambiente de discórdia que serei um servo útil ao Senhor. Apesar de tudo, a consciência de que a minha presença nem sempre é proveitosa me protege de vários inconvenientes.

Todos nós, num estágio da vida, precisamos de alguém que nos influencie. Alguém de que tenhamos admiração, que nos transmita segurança para podermos imitá-lo. Mas existem excessos, como o desejo de ter uma pessoa que sirva de mestre em tudo. Geralmente, a primeira personificação de perfeição é a dos pais. Mas devemos chegar a um estágio de maturidade em que os julguemos. Nunca deve faltar amor e honra por eles, mas aquilo que nos transmitem deve ser examinado (1 Ts 5.21), e assim, se for bem, deve ser estabelecido em nós. – “Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim” (Mt 10.37). O apóstolo Paulo, criado aos pés de Gamaliel, que por sua vez, era homem venerado entre os judeus, exemplifica, em parte, a dependência proposital na humanidade. Mas Paulo se desvencilhou disso, mesmo Gamaliel tendo méritos, receber algo do Senhor é muito melhor. Ninguém substitui Cristo no lugar de perfeição. Não podemos esquecer que o único digno de glória, e honra e poder é o Senhor. É a Ele que devemos imitar em tudo. É a Ele que temos que convidar a estar presente em todos os momentos de nossa vida – “Vós me chamais Mestre e Senhor e dizeis bem, porque eu o sou” (Jo 13.13).

Posso ajudá-lo a entender isso. Não sou prepotente, às vezes caio no mesmo erro, mas me disponho em servir a Deus. É pela vontade de Deus que me arrisco em expor conhecimento: Saul e Davi não rejeitaram o reinado, mas atenderam a chamada divina. Mesmo sabendo que a princípio Deus tinha sido rejeitado pelo povo (1 Sm 8.7), não se sentiram culpados pelo fim da teocracia. Havia a promessa de estabelecer um reinado humano (Gn 17.6; 49.10), mas o povo se precipitou; não soube aproveitar o momento de exclusividade com Deus, não soube discernir o momento certo para expandir suas relações sociais. Mas, por amor, dentro das falhas de alguns, Deus prepara servos para amenizarem os distúrbios do cotidiano.

Mas eu tenho que lembrá-lo dos prejuízos: A ira do Senhor se acendeu contra Moisés por faltar-lhe fé (Ex 4.14). Deus tinha interesse na exclusividade da realização daquela obra por Moisés – “Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar” (Ex 4.12).

É proveitoso lembrar-se da morte. Deus fez Josué lembrá-la: “Moisés, meu servo, é morto” (Js 1.2). – E agora? Quando procuro alguém confiável para estar comigo perante o Senhor e não encontro, e pior, encontro a oposição da morte? Deus, após confrontá-lo com a lembrança da morte, responde a essa pergunta: “Não to mandei eu? Esforça-te e tem bom ânimo; não pasmes, nem te espantes, porque o Senhor, teu Deus, é contigo, por onde quer que andares” (Js 1.9).

Por fim, farei um novo desafio a ele: Ao contrário de me convidar para interromper o particular que Deus te oferece, quando for se aproximar de mim convide a Deus para te fazer companhia. Não quero estar entre você e Deus, mas quero que Deus sempre esteja entre nós.

“E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.” (Mt 22.37-39)

Wesley Santos Rezende

6 comentários:

Maiza Roque disse...

Olá, Wesley

Estava lendo seu texto e gostei muito.A cada dia tenho aprendido a gostar mais das suas postagens aqui.Sinceramente!
Eu gosto muito de ler , analisar as coisas e aprender também ;e seus textos ultimamente tem me ajudado muito , são textos que sempre de uma forma ou de outra me transmitem uma mensagem.

Lendo esse texto estava pensando no quanto as pessoas gostam de se espelhar em alguem.Veêm em seus pais ou então em alguns lideres uma pessoa correta , íntegra perfeita e sem erros.Penso que admiração em excesso pode trazer as vezes decepções ,pois as pessoas são falhas.Digo isto por experiência própia.Como isto se torna doloroso!- Mais aprendi e estou aprendendo a buscar mais em Deus e admirar sua palavra pois é ela que me ensina a cada dia e me da forçar pra continuar prosseguindo para o alvo.

Que possamos achegar mais e mais diante de Deus e que ele esteja sempre conosco nos abençoando e nos dando vitória.


...Peço a Deus que ele abençoe sua vida sempre e que ele te conceda conhecimento da palavra dEle a cada dia.
É muito bom ver sua sede de conhecimento .

Continue escrevendo ...
Que o Senhor Deus seja contigo!

Um grande abraço com muuuita saudade. De sua amiga,

Maiza.

Wesley Rezende disse...

Maiza,

Obrigado por suas palavras de incentivo! É sempre bom fazer amigos, qualquer decepção vivida não pode nos impedir de fazer novos amigos. É uma bênção de Deus ter um convívio harmonioso com o próximo. Mas não podemos nos esquecer que a companhia de Deus é infinitamente melhor.

Graça e paz!

Wesley

Antonio Tadeu Ayres disse...

Caro Wesley:

Muito edificante o seu texto.Ao lê-lo, vieram duas lembranças à minha mente: A primeira é a de que Jesus, ao morrer, fez com que o véu do templo se rasgasse de alto abaixo, tornando livre o acesso de qualquer homem ( e não do sumo sacerdote apenas)à presença de Deus.

A segunda é a de que, embora os pais e figuras parentais sejam, de fato, os nossos primeiros modelos; temos de nos livrar dessa dependências infantil, se quisermos alçar vôo em direção à maturidade.

Um abraço fraterno.

Tony Ayres

Wesley Rezende disse...

Tony,

Muito boa sua exposição, esclarece qual é o alicerce para o início de um perfeito relacionamento. Somente mediante o acesso a Deus, ao seu amor, é que podemos aceitar, entender e suportar o próximo; e nisso, amar.

Abraços,

A paz do Senhor!

Wesley

Hermes C. Fernandes disse...

Parabéns pelo belo trabalho no blog.

Já estou seguindo.

Aproveito para lhe convidar a conhecer o meu blog, e se desejar segui-lo, será uma honra.

Seus comentários também serão muito bem-vindos.

www.hermesfernandes.blogspot.com

Abraço fraterno!

Wesley Rezende disse...

Prezado Hermes,

Obrigado por sua visita e por suas palavras. Irei visitar seu blog.

A paz do Senhor!

Wesley